domingo, 5 de janeiro de 2014

A importância de saber recomeçar

Boa noite e feliz ano novo para todos!

O segundo semestre do ano de 2013 – para mim – foi repleto de mudanças (acredito que todas positivas). Algumas estavam no meu “roteiro” devido a minha irritante necessidade de planejar o futuro, mas outras o destino se encarregou de me surpreender.

Entreguei e apresentei o meu TCC com nota máxima, finalizei o penúltimo semestre da faculdade, não passei na OAB (AINDA!!!) e tive um lindo desfecho de ano comemorando o meu aniversário de 23 anos rodeada de pessoas extremamente queridas, seguido de um Natal abençoado e, para finalizar, uma breve escapadinha para o “paraíso” onde recarreguei minhas energias!

Aproveitando esse clima de comecinho de ano gostaria de mencionar um texto do Drummond que recebi de uma amiga muito especial (A. P., amo você!).

Cortar o tempo

"Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez
com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente...

Para você, Desejo o sonho realizado.
O amor esperado. A esperança renovada.
Para você, Desejo todas as cores desta vida.
Todas as alegrias que puder sorrir.
Todas as músicas que puder emocionar.

Para você neste novo ano,
desejo que os amigos sejam mais cúmplices,
que sua família esteja mais unida,
que sua vida seja mais bem vivida.

Gostaria de lhe desejar tantas coisas...
Mas nada seria suficiente...
Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes...
e que eles possam te mover a cada minuto,
no rumo da sua felicidade!"

Carlos Drummond de Andrade

Minha terapeuta sempre lembra que na primeira sessão que tivemos, logo depois de nos apresentarmos, ela me perguntou por que eu tinha procurado aquele tratamento. Eu respondi que tive uma longa e difícil batalha para vencer um câncer e que estaria lá todas as semanas para não deixar que os ensinamentos que recebi ao longo de tantas lutas caíssem no esquecimento com a correria do dia a dia e a inversão de valores que muitas vezes predomina os nossos pensamentos e atitudes.

Assim, o meu desejo é que o início desse novo ano traga a todos sentimentos de renovação e esperança, sem que deixem de lado os aprendizados, principalmente, aqueles que a vida coloca no nosso caminho através de algum sofrimento.

Que superar não signifique esquecer das dificuldades que encontramos para chegar até aqui e dos leões que tivemos que enfrentar para estar onde estamos. Ser vencedor também é ter sabedoria para permitir que a dor amenize com o tempo, sem deixar de cultivar as lições adquiridas e, sempre que possível, passa-las adiante. Ou então, de nada terá valido todo o esforço.

Que 2014 seja repleto de luz, saúde, amor, conquistas e momentos inesquecíveis para todos nós, pessoas de muita FORÇA E FÉ!



quarta-feira, 28 de agosto de 2013

É preciso ver para crer?

Dessa vez eu sumi para valer!!! Prometo não fazer mais isso, ok?

Não escrevo desde março e nesse tempo muitas coisas aconteceram.

Se 2011 foi o ano que me dediquei a minha saúde, 2013 está sendo o ano acadêmico. Lógico que não quero comparar o nível das dificuldades, mas desafio é desafio. Por isso que para algumas pessoas um problema X, pode ser o fim do mundo, enquanto que para outras não passa de uma besteirinha – e eu costumo estar classificada no grupo dessas “outras pessoas”.

Se tudo der certo, vou me formar em julho de 2014 e quando esse ano de 2013 começou, já sabia que seria uma loucura. No curso de direito do Mackenzie entregamos o trabalho de conclusão de curso no 9º semestre e não no 10º. Além disso, para quem não sabe, os alunos matriculados no 5º ano (9º semestre) podem prestar o exame da OAB e, se passarem, já está valendo.

Ou seja, juntou TCC, OAB e a minha ansiedade de ver tudo isso acabar!!!

Por essas razões e como sou uma pessoa que planejo cada centímetro dos meus passos pelos próximos meses (o que é péssimo, acreditem), eu e meu namorado fomos viajar por uma semana no fim de maio, já que o segundo semestre prometia ser uma correria louca.

A viagem foi maravilhosa e veio no momento certo, mas, no fim das contas, sofri mais pensando como tudo iria acontecer do que de fato agora que as datas estão se aproximando.

Comecei a temporada sendo madrinha do casamento de uma grande amiga. Casamento dos sonhos, lindo, na praia, noivos apaixonados, madrinhas super animadas e convidados em sintonia. Sabe quando tudo acontece da melhor forma? Inesquecível!!!

Depois de uma semana foi a prova da primeira fase da OAB. São 80 questões múltipla escolha e eu tinha que acertar 40. Lógico que eu estava ansiosa, mas bem calma perto dos meus colegas de sala, por exemplo, que acabaram com a minha tranquilidade cultivada com muito cuidado durante as férias....rsrs!!!

Antes de ir para a prova, orei e pedi que o melhor fosse feito. Não pedi desesperadamente para passar e fiz promessa de ficar 6 meses sem comer chocolate ou qualquer coisa do tipo. Pedi para que o Papai do Céu me iluminasse e que se fosse para eu passar, que eu passasse. Se não fosse, tudo bem. E fui para a prova com a minha Santa Rita no peito.

O gabarito saiu no mesmo dia e, ao corrigir as questões, cheguei no meu resultado: 39. Precisava acertar 40 para passar e tinha feito 39. TRINTA E NOVEEEEE!!! Alguém acredita? Na hora fiquei um pouco chateada...poxa, por uma?

Como a prova foi muito difícil e os professores dos cursinhos preparatórios estavam criticando a elaboração das questões e o péssimo desempenho das pessoas que prestaram, começaram a surgir as hipóteses de anulação de questões. Todo mundo falando que quem tinha acertado 38 ou 39, deveria fazer a matrícula em algum desses cursinhos que preparam também para a 2ª fase da prova que é em outubro.

Eu, no calor das emoções, acordei na segunda-feira decidida a fazer o tal cursinho e estudar, pois com certeza anulariam uma e eu estaria aprovada. Conversei no estágio e já estava tudo certo para fazer as aulas três vezes por semana no período da manhã. No dia seguinte, acordei cedinho para assistir a aula inicial e fazer a matrícula. Mas sabe quando tem algo incomodando? Mas assim...incomodando muito?

Pois é! Eu estava angustiada e não sabia o por que. Foi tudo muito rápido e tratavam-se de decisões tomadas no auge da emoção.

Já pronta para ir para a primeira aula, sentei na minha cama e conversei comigo mesma: listei os efeitos desse “investimento” na minha tão esperada aprovação e vi que estava fazendo tudo aquilo porque as pessoas me disseram para fazer. Mas e medo de me arrepender depois? Foi nesse momento que tive certeza de qual caminho deveria seguir. 

Quando eu acabei a prova e fui passar as questões para o gabarito, lembrei que os professores disseram que nesse momento não deveríamos mudar nenhuma resposta e mesmo assim eu mudei 4.

4 questões que eu assinalei uma coisa e na hora de passar o gabarito resolvi mudar as respostas. Acreditem...as 4 respostas iniciais estavam CORRETAS! AS QUATRO!!! E obviamente, quando eu mudei, optei pelas respostas erradas. Ou seja, eu poderia tranquilamente ter passado com 43 e estaria mais do que aprovada, mas não foi assim.Quando corrigi o gabarito e vi essas 4 certas, mas, na verdade, erradas, me deu uma raiva profunda.

Naquele momento, sentada na minha cama e medindo as consequências da minha decisão, lembrei desse fato e pensei: poxa, antes da prova eu pedi que o melhor acontecesse. Que se não fosse o momento para eu passar, que eu não atingisse a nota mínima. E como que nos últimos minutos da prova me dá um “tchum” na cabeça e eu mudo exatamente o número de questões necessárias para ser reprovada? Não mudei duas ou três...mudei quatro.

Olhei para a minha santinha rita que fica no meu criado mudo, dei um sorriso e agradeci! Não sei e nunca saberei se era esse mesmo o recado ou se eu com as minhas teorias malucas acabei desistindo de alguma coisa importante, mas a decisão foi essa: não passei, então vou prestar a prova de dezembro! Além do mais estarei de férias da faculdade, não vou viajar e poderei fazer o cursinho a noite e me dedicar para a 2ª fase sem provas na faculdade, além, é claro, de já ter apresentado meu TCC e ser uma pessoa muito mais calma. (eu me esforço diariamente para isso...rs!)

Tudo bem que até agora tem gente tentando colocar na minha cabeça que eu não podia ter desistido, mas depois que decidi isso senti que tirei 5 toneladas das costas. Sei que essa situação me causaria muito nervoso, ansiedade e, ainda, poderia prejudicar até a minha saúde. E, afinal, só serei advogada quando me formar, certo?

Enfim, contei esse episódio da minha vida para dizer uma coisa: essas situações sempre aparecem nas nossas vidas e cabe a cada um interpretar da forma que achar melhor. Podemos nos lamentar, chorar, reclamar ou então, pensar que alguma razão teve para aquilo acontecer. É o caso da pessoa que perde o horário para um compromisso ou uma viagem e depois descobre que se livrou de um acidente, por exemplo.

O grande problema, no meu ponto de vista, é que a maioria só se conforma das “curvas” que a vida dá quando recebe provas concretas de que era a melhor solução. As pessoas precisam ver para crer. São pessoas sem fé, e, por favor, entendam FÉ de qualquer crença ou religião. Só que tem coisas que vão muito além do que nossos olhos podem enxergar. Uma vida inteira, quanto tempo quer que ela dure, as vezes não é suficiente para algumas provações.

E ai? Continuar se lamentando? Procurando uma resposta para cada questão? Pensando como seria se a escolha tivesse sido outra? Se não tivesse mudado as benditas quatro questões?

Para mim, fazer o bem, ser uma pessoa correta e ter muita FÉ, são as coisas que me direcionam para a melhor “trilha da vida”. O que vier no caminho, enfrentarei com todos os meus milhões de princípios que não deixo de lado em momento algum, por pessoa nenhuma e, principalmente, jamais deixarei para conseguir o que quer que seja.

O resto, Deus ajuda!



sexta-feira, 8 de março de 2013

Mulheres de Força e Fé!


Tantas coisas aconteceram nesses seis meses que eu fiquei sem escrever...mas apenas coisas boas! Novo estágio, reta final na faculdade, uma nova escrivaninha para trabalhar no meu TCC, terapia indo bem, homeopatia sendo seguida à risca e muitos planos para o futuro não tão distante. E lógico...nota DEZ no quesito saúde ;) Exames extremamente em dia e todos com os melhores resultados possíveis. Graças a Deus!!!

Eu nunca liguei para esses dias comemorativos, na minha opinião, 100% comerciais, MAS, algo me fez parar para pensar.

Agora pouco cheguei de um jantar e, como de rotina, deitei na cama, falei com meu namorado e entrei no facebook pelo celular para dar uma “olhadinha” no que estava acontecendo. E estava sim...como é gostoso ser surpreendida com coisas positivas não?

Um bom dia inesperado no elevador, um sorriso arrancado por qualquer motivo, uma mensagem de uma amiga que anda meio ausente,...e foi melhor do que tudo isso! Uma amiga de infância que, por nossas vidas terem tomado rumos diferentes, acabou se afastando, me “marcou em uma publicação”.

Nossa...a Rachel? Da escola? O que será que ela escreveu que mencionou o meu nome?

CARAMBA!

Uma homenagem, das mais lindas que eu já li, parabenizando as mulheres admiráveis que passaram pela vida dela. E lá estava o meu nome...na primeira linha! UAU! Como se não bastasse a homenagem, ainda foi de camarote.

Me senti a pessoa mais especial do MUNDO!

E como muitas pessoas que eu encontrei ao longo dos seis meses sem escrever me questionaram o motivo do sumiço, eu sempre disse: Não dá para sentar e escrever como uma obrigação. Tem que vim do coração...dito e feito! Há exatos 5 minutos me deu uma vontade tããão grande de escrever aqui que levantei, peguei meu laptop e, deixando de lado todo o cansaço da rotina completamente louca que estou levando, vim fazer uma das coisas que mais me dá prazer na vida! Dividir o que estou sentindo no blog!!!

Parabéns! Parabéns a todas as mulheres...todas as MULHERES DE FORÇA E FÉ!

As que criam os filhos sozinhas, as que cuidam dos pais e avós sozinhas, as que aguentam os chefes com o maior jogo de cintura, as que são o mundo para pessoas que precisam de cuidados, as que são os “homens da casa”, as que acordam cedo para arrumar os filhos para a escola, preparam a lancheira com todo o carinho, levam para escola, inglês, mãetorista, fazem o jantar e ajudam na lição de casa! Mulheres que se equilibram no salto, sabem cozinhar, calam quando necessário e defendem as pessoas que amam como leoas!

E sabem algo que eu e a Rachel temos em comum, além de termos cursado a mesma escola na infância? Rs...! Temos, cada uma, um anjo da guarda especial.

Sabe a estrela que mais brilha no céu? A borboleta azul que voa, voa, pousa por alguns segundos e vai embora...apenas para fazer uma breve visita?

Temos em comum as saudades das melhores mulheres que passaram por nossas vidas!

Obrigada amiga pela homenagem, obrigada mãe por ter deixado marcas tão boas em tão pouco tempo de convívio e mesmo tão “distante”, permanecer tão presente na minha vida, obrigada a minha avó que cuida de mim como se minha mãe fosse, obrigada a todas as mulheres que foram por algum tempo minhas mães de coração. E olha que foram muitas...tia, sogra e muitas mães de amigas que me adotaram e cuidaram de mim com preocupação, conselhos e até algumas broncas...rs!

E obrigada ao meu pai...que nunca foi mulher, mas sempre fez – e continua fazendo – de tudo para ser uma mãe para mim.

Por que ser uma MULHER DE FORÇA E FÉ todos os dias, não é fácil! 


terça-feira, 28 de agosto de 2012

Até onde "superar" significa seguir em frente???

Bom dia!!!

Que saudades daqui!!! Durante esse tempo longe da minha paixão que é escrever no BLOG, muitas coisas aconteceram...coisas boas, coisas ótimas.

Retirei, finalmente, o cateter e o melhor de tudo foi voltar à clínica – que é a mesma onde fiz a quimioterapia – e, enquanto aguardava pelo médico, olhei para a mesinha no centro da sala de espera e não contive a emoção! Durante o tratamento, como eu ia lá diariamente para as agulhadas insuportáveis, sabia de cor e salteado todas as revistas e livros disponíveis para “entreter” os pacientes. E é lógico que eu já tinha, ao menos, folheado, todos eles.

Naquele dia foi diferente! Logo que cheguei não deixei de reparar que havia coisa nova...”Nossa, os livros mudaram? Rs...acho que faz tempo que eu não venho aqui!” E por menor que isso pareça para quem está lendo, senti uma alegria enorme e comecei a rir! É...a minha “vez” tinha passado....UFA!!! Já não era mais parte do meu cotidiano.

Algumas semanas depois lá estava eu...no aeroporto internacional de São Paulo rumo a uma das viagens mais incríveis da minha vida! Um mês de diversão, preocupação ZERO, e lugares inesquecíveis!!! Um  mochilão, uma amiga do peito, muita risada e apenas alguns vestígios de uma doença do passado que perto de tudo o que vivemos lá...ahhh, nem teve importância!

Momentos maravilhosos que ficarão gravados para sempre na minha memória!

E é sobre isso que eu queria falar...a minha memória e o poder que eu tenho sobre ela.

Cheguei de viagem completamente realizada e pronta para voltar a realidade, mas esses últimos dias me peguei preocupada e sofrendo com fatos tão insignificantes perto de tudo o que passei e aprendi, que até me assustei.

Poxa Bruna, noites sem dormir, feridas na pele e toda essa impaciência....por que mesmo? Esqueceu os reais valores da vida? Vou te passar o blog de uma conhecida que teve verdadeiros motivos para sofrer e superou tudo da melhor forma...entra aí: mulherdeforcaefe.com.br !!! OPA! Acho que eu conheço essa história.

CHACOALHÃO EM MIM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O que isso tem a ver com a minha memória? Vamos lá!

Desde pequena, depois que perdi a minha mãe, acredito que acabei desenvolvendo uma proteção contra os acontecimentos tristes da minha vida: DELETÁ-LOS DA MEMÓRIA!

Simplesmente assim...me faz mal? Eu APAGO!

Parecia a solução ideal até eu crescer e perceber que a minha história começa lá pelos 16 anos! Sim...antes disso não lembro de quase nada. Aniversários, festas, amigos, viagens,...o que foi registrado em fotos eu tenho guardado em uma caixa. O que não foi, ficou lá no passado, como o vento forte que passa e modifica o que foi desenhado na areia. Não recupera nunca mais.

Sinto falta das lembranças boas! Saber que desenho eu assistia, como era a minha boneca favorita, qual a brincadeira nos intervalos da escola, as primeiras festinhas...NADA!

Tudo bem que não se pode ter tudo nessa vida, mas precisava ser tão radical?

Simplesmente trancar a história da sua própria vida em um baú com 21 chaves e enterrá-lo no quintal de casa é arriscado, pois um dia pode surgir a curiosidade de descobrir o que há ali.

E ver todas as fotos daquela época mexeu comigo. Emoções boas e ruins, lembranças boas e ruins. Melhor guardar tudo de novo e deixar onde estava, né?! Não sei.

Por isso que eu pensei bastante e decidi que quero fazer terapia novamente. Tem quem seja a favor e quem seja contra...mas ajuda nunca é demais! Até por que, meu namorado sempre faz questão de me lembrar de que eu não sou a “Mulher Maravilha!” Ok...eu já ouvi isso 200 vezes.

Mas o que eu realmente quero, não é nem revirar o baú do passado e sim, não permitir que o meu sofrimento dos últimos meses caiam no esquecimento e eu volte a ser a Bruna de antes. Isso não! Esse aprendizado não pode ficar guardado e muito menos esquecido por nem um segundinho dessa minha vida.

Até porque, as pessoas que estavam ao meu redor e vivenciaram tudo comigo, levaram aprendizados da minha luta. Mas eu...eu vivi tudo, literalmente, na pele e não quero que os irrelevantes fatos do dia a dia pareçam o pior problema do mundo...até porque eu já provei desse sabor e sei que é muito mais amargo do que o doce de um problema aparentemente “difícil!”

Ou seja...BRUNA, DÁ UMA LIDA NESSES POSTS AÍ DE BAIXO E PARA DE RECLAMAR VAI!

terça-feira, 22 de maio de 2012

22.05.2012 - Meu 1º aniversário!

Boa noite!

Boa não, especial!

Hoje, dia 22 de maio de 2012, além de ser o dia da minha santinha Rita de Cássia, é o meu 1º aniversário.

1º aniversário, pois há exatamente 1 ano atrás eu renasci. Recebi a minha chance de começar tudo de novo. Corrigir os erros e dar valor as coisas e momentos que realmente importam nessa vida.

Dia 22 de maio de 2011 eu não acordei, pois não dormi!

Cheguei cedinho no hospital e recebi um milagre!!! Os médicos conseguiram, através da permissão “lá de cima”, costurar o meu intestino e não precisei usar a bolsinha para sempre.

Portanto, hoje é o nosso dia! Meu e da minha santinha.

Acordei com uma sensação estranha...um frio na barriga. Acho que só de relembrar os sentimentos que tive naquele dia, já me deu um enjoo, um arrepio.

Parece que não fui eu que passei por tudo aquilo...ou pelo menos que eu não teria forças para passar novamente.

Sabe quando alguém diz que não seria capaz de alguma coisa, até vivenciar o momento que exige aquela atitude e a pessoa faz sem pensar duas vezes? É mais ou menos assim que eu me sinto.

Acredito que na época vesti uma armadura, peguei a espada, o escudo e sai derrubando tudo o que vinha pela frente.

Parabéns para mim, para os médicos, para tooooodas as pessoas que me apoiaram com uma ligação, uma mensagem, um abraço, uma visita, uma oração,...OBRIGADA!

Comemoro esse dia agradecendo!!!! Agradecendo a vida maravilhosa e preciosa que eu tenho. Aliás, que todos nós temos...pena que alguns demoram muito para entender o valor que “ela” tem!!!

E como se não pudesse ficar melhor, na terça-feira passada fui ao meu médico – cirurgião e levei todos os exames, inclusive a colonoscopia que eu estava com tanto medo de fazer. E o resultado...Ah...o resultado NÃO PODERIA SER MELHOR!!!

- Bruna, seus exames estão EXCELENTES! Sangue (CEA), ultrassom, raio-x,...e a colono? Nossa, que lindo! Está tudo limpinho, bonitinho, perfeito! Parabéns. Sobre a densitometria óssea, não se preocupe! Acredito que não é efeito da menopausa, provavelmente você já tinha essa fraqueza e agravou, pois ano passado você não pode fazer nenhum exercício e ficou muito tempo “de molho”! O remédio? Ginástica e apenas ginástica. Irá fortalecer os músculos e ossos o suficiente para você não precisar de remédio.

E era nítida a alegria e sensação de dever mais do que cumprido dele.

Eu? Ah...eu estava em outro planeta tentando voltar para a Terra.

Além de todas essas notícias ele autorizou a retirada do meu cateter, porth o cath! Hahahahaha...só faltava ele falar que de agora em diante era vida normal, né?

Nos despedimos e ele disse: Muito bem! Agora é vida normal e volte aqui apenas daqui a 06 meses com os exames que você fará semestralmente para acompanhamento.

QUUUUUUUUUUUUEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE???????

Hahahaha mas neeeem se eu tivesse ganhado MILHÕES na mega sena eu seria capaz de sentir aquilo lá! INDISCRITÍVEL!

Você ACHA que já ficou COMPLETAMENTE feliz nessa vida?

EU SEI O QUE É ISSO!

Meu coração explodiu, eu tive vontade de gritar até desmaiar, sair correndo e seria capaz de dar 3 voltas no mundo.

Acho que fiquei sem piscar os olhos por alguns minutos, a boca seca, os batimentos a milhão...fui e voltei até o céu 8235397 vezes!

Tudo isso aconteceu até eu entrar no carro com o meu pai. Aí eu desabei e chorei por 02 horas contadas no relógio, sem parar para respirar.

Aqueles choros de soluço...o lenço que usava no meu pescoço até ficou molhado.

Meu pai não se aguentou de alegria e satisfação!

Sabe, no meio de tantos acontecimentos, não tinha passado pela minha cabeça que algum dia eu iria receber um troféu. Esqueci que a batalha teria SIM um vencedor e depois disso, iria simplesmente...acabar.

Sim, acabar!

Eu não pensei, em nenhum momento, que esse dia chegaria, e novamente, assisti ao filme da minha luta.

Uma emoção única e especial. A minha vontade de viver tinha prevalecido e o resultado final era aquele: uma Bruna mais saudável do que nunca, mais feliz do que nunca e mais cheia de vida e alegria do que nunca. Poderia ser melhor?

Meu Deus do Céu, agradecer todos os dias será muito pouco.

Em todos os sentidos que esta expressão pode representar: deixo a minha VIDA nas suas mãos, para que o Senhor direcione e cuide, da forma que julgar melhor! Poderia ser mais grata? Afinal, é o meu BEM MAIS PRECIOSO!

sábado, 21 de abril de 2012

A minha caixinha de jóias e pedrinhas!


Boa tarde de um dia frio e chuvoso.

Não poderia começar falando de outro assunto a não ser a minha prima!

Ela conseguiu lidar, dentro do possível, muito bem com a bolsinha e sábado passado fez a cirurgia de reversão. Tudo correu conforme esperado, graças a Deus.

Porém, na segunda-feira fui visitá-la na minha hora do almoço e não saí feliz do hospital. Ela estava abatidinha, sob o efeito de vários remédios, com muita dor, enjôo, e triste por estar longe dos filhotes e marido.

Realmente cada corpo é um corpo e cada médico é um médico! Mas vê-la cansada de todo esse processo desgastante me deixou muito chateada. E a sensação de impotência é inevitável nessas horas!

Então recorri para quem, ao contrário de mim, poderia mudar aquela situação! Saí do trabalho e peguei um metrô até o meu templo de paz, a Igrejinha da minha Santa Rita que fica em um bairro próximo.

Ao chegar lá, sentei e primeiro agradeci todas as coisas boas e vitórias que têm acontecido na minha vida. Depois, pedi por todos que eu amo e, naquele momento, principalmente por ela!!!

Fiquei lá sentadinha em um momento de paz e reflexão! Independente de religião e crença acho que todos deveriam encontrar um lugar que lhes trouxesse esse sentimento.

Nunca fui devota de nenhum santo, mas depois do milagre que aconteceu na minha vida no dia 22.05, dia de Santa Rita, passei a tê-la todos os dias pendurada no meu pescoço e presente nos meus pensamentos e orações.

Os devotos levam para a minha santinha flores - rosas, mas como eu fui correndo, pois a Igreja fecha às 18h e eu saio do trabalho às 17h, não deu tempo de levar esse agrado, então tive outra ideia.

Estava com os cadernos da faculdade e como acredito que tudo isso seja apenas uma forma de agradecer as graças alcançadas, peguei uma folha e comecei a desenhar. Desenhei uma rosa e escrevi algumas palavras. Cortei o papel e deixei ao lado dos vasos de rosas que outras pessoas levaram para Ela.

Ao meu ver...valeu a intenção!

Saí de lá e liguei para a minha tia que estava no hospital com a minha prima e pedi para ela avisá-la que paciência seria necessário, mas na terça-feira ela iria acordar muito melhor e disposta! FÉ EM SANTA RITA!

No dia seguinte eu estava trabalhando quando recebi uma mensagem no meu celular...: “Oi prima, estou bem melhor hoje, até comi arroz com carne. Tenho alta amanhã! Obrigada por pensar em mim! Bjos.”

O queeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee??????????????????????????????

Rs....fiquei muito, mas muito feliz! Sabia que a minha santinha não ia me abandonar!!!

E ela realmente saiu no dia seguinte. Apesar de ter algumas complicações em casa, agora é repouso e calma...o corpo pede descanso, não adianta ter pressa. Reta final!

Enquanto isso na minha vida....tudo muito bom!

Como passei nos médicos no começo do ano e enrolei para marcar os exames, fiz a maior parte deles semana passada e a colonoscopia – tão temida – será no dia 07.05.

Então ontem, meu pai buscou os resultados dos exames, por que quinta-feira dessa semana tenho consulta, e obviamente, ao contrário de todas as recomendações dos médicos, abriu todos os envelopes! Qual é a pessoa que consegue deixá-los no aparador na entrada de casa até o dia da consulta e simplesmente ignorar o que pode conter lá dentro? Bom, eu sei que eu não sou essa pessoa nem o meu pai.

Paralelamente, eu estava na faculdade estudando na biblioteca para uma prova de direito penal. Já era quase 18h quando eu fui até a mesa de uma querida amiga – B.M. – e disse que não estava me sentindo bem.

Uma sensação inexplicável! Nunca tinha sentido antes e espero não sentir nunca mais.

Angústia, algo preso no peito, tentava buscar o ar, mas ele não vinha. Falei para ela que não conseguia mais ficar lá dentro e precisava sair para respirar e me acalmar.

Ela perguntou se era uma sensação de que algo ruim estava por vir e eu disse que não...quer dizer, achava que não! E ela ainda bateu 3 vezes na madeira.

Fui lá fora, sentei em um dos banquinhos, a noite já estava chegando e a angústia não ia embora.

Segurei com força e muita fé a minha santinha que carrego na minha correntinha, todos os dias, e fiz uma oração! Pedi para que nada de ruim acontecesse com o meu pai, nem meu irmão, nem meus familiares, amigos e pessoas queridas.

Só tinha esquecido de uma pessoa...EU!

Fiquei alguns minutos de olhos fechados, respirando bem fundo e soltando o ar calmamente. Melhorei!

Voltei para a biblioteca, acabei de ler a matéria, fiz a prova e encontrei meu pai que estava me esperando no carro para virmos para casa.

Foi aí que recebi a bomba nº 98754376 da minha vida!

“Bruna, tudo bem? Então...peguei seus exames!!! (uma pausa de 10 segundos e eu já sem respirar) Está tudo ótimo!!! Exame de sangue CEA está excelente, chapa do pulmão, ultrassom de todos órgãos, parabéns! ...mas teve só uma coisinha...a densitometria óssea. Já liguei para o seu médico e ele confirmou...você está com osteoporose.”

OI?

EU?

COM O QUE?

OSTEOQUE?

OSTEOPOROSE?

AQUELA DOENÇA DOS OSSOS? DE QUEM TEM 80 ANOS?

EU?

COM 20 ANOS?

DE NOVO?

Acho que ele falou por uns 30 minutos, mas eu fiquei surda!

.

.

.

.

.

.

.

Algumas lágrimas, alguns soluços, uns bons minutos sem ouvir nada e sem falar nenhuma palavra.

PUTA QUE PARIU MEEEEU!!! QUE MEEEEEEEEEEEEEEEEEEERDA!

Consegui me recompor psicologicamente e, rapidamente, digeri a notícia.

Lembram-se da angustia? Pois é...meu pai tinha ligado para o médico naquele momento! Um pouco antes das 18h. Coincidência?

E lá vem a pergunta de sempre: quem aqui estava pensando que era momento de trégua? Rs...ainda não!

Bom, por enquanto não tem muito o que falar! Tenho que esperar até o dia da consulta para saber qual será a estratégia dessa vez.

Na verdade, o motivo dessa doença é a menopausa! Por causa da radioterapia eu não produzo mais óvulos/hormônios, por isso que congelei os óvulos. E eu já sabia que corria o risco de ter problema com os ossos...mas não agora, NÉ???????????

Acredito que o médico vai me dar uns comprimidos para reposição de cálcio e exames frequentes. Mais um para a coleção!

E ainda tem a P%#@* da colonoscopia...mas essa será sucesso absoluto ;)

Enfim...quando eu falo que tenho que aproveitar caaada segundinho da minha vida, não é por falar! É a mais pura verdade. Quem sabe o que virá amanhã?

Fiquei muito triste, mas logo passou! Nada que tenha me abalado por mais de 30 minutos. E agora, é lógico, por estar escrevendo sobre isso.

Ufa!...só me resta esperar as próximas cartas do jogo e enquanto isso, já estão me enfiando leite goela abaixo! Hahaha

E para quem chegou agora, “sejam bem vindos a minha vida! Uma caixinha de surpresas, boas e outras não tão boas! São as minhas jóias e as minhas pedrinhas...Por isso que vivo tão intensamente, preciso compensar as “não tão boas” com as minhas maluquices”. E se um dia alguém me perguntar se eu gostaria de trocar de “caixinha”, a resposta não seria outra!
NEM FERRANDO!

domingo, 11 de março de 2012

Anjos enviados por DEUS!

Boa noite!

Todos já estavam me perguntam quando eu iria escrever o próximo post. A questão é que nesses últimos meses algumas coisas mudaram, novamente, na minha vida e não me sentiria a vontade de escrever sobre esses fatos aqui, mas também sentar, abrir o computador e começar a escrever pelo simples fato de ser uma obrigação, não seria totalmente verdadeiro.

Então esperei a maré baixar e agora voltei!

E vocês estavam pensando que a vida me daria uma trégua, não é? Rs...não, não! Comigo as coisas são diferentes.

Já sabia que tudo o que passei me faria mais forte do que nunca, mas esses tempos descobri que criei uma pele de jacaré e nem uma mudança que, provavelmente deveria abalar minhas estruturas e virar o meu mundo de ponta cabeça, foi capaz de tirar a minha felicidade de viver.

E não digo isso pensando apenas nos momentos de diversão, digo isso pensando nos momentos sozinha no meu quarto, quando perco o sono de madrugada...por que agora é assim, se eu estiver bem de saúde, nada vai me entristecer.

Na verdade teve um dia que eu acordei bem triste, logo depois de receber a notícia que uma pessoa muito especial não faria mais parte da minha vida, por escolha própria. Aliás, não foi a primeira vez que isso aconteceu comigo...

Enfim, como Deus não me abandona nunca, logo tratou de abrir os meus olhos para a vida. Naquela tarde a secretária do meu oncologista me ligou dizendo que já tinha passado, e muito, do prazo que eu tinha entre uma aplicação e outra de soro para limpar o interior do cateter e deveria ir até a clínica no mesmo dia.

Além da tristeza que já estava sentindo, levar aquela aplicação só poderia piorar as coisas.

Pedi para a minha avó me levar até lá depois do trabalho e já cheguei com aquele sorriso torto no rosto.

Acho que não aparecia por lá desde o começo de dezembro e por alguns meses, viajei, me diverti, tive ótimos momentos e guardei tooodas as lembranças desagradáveis em um potinho, tranquei, e coloquei dentro da última gaveta da estante.

Pois é, mas era hora de relembrar tudo! Aquela ida à clínica foi muito mais do que uma doída furada no peito. Foi uma sacudida de “alguém” lá de cima, dizendo: OLHA AÍ MENINA, TÁ TRISTE POR QUÊ? TA CHORANDO POR QUÊ? ESQUECEU TUDO O QUE EU FIZ POR VOCÊ? ESQUECEU A CHANCE QUE EU TE DEI? E AGORA? VAI ESCOLHER DESMORONAR OU VAI ESCOLHER APROVEITAR CADA SEGUNDO E DEIXAR O FUTURO EM MINHAS MÃOS? JÁ TE DECEPCIONEI?

UAU! Foi um choque de realidade...um filme passou na minha cabeça! Lembrei de quantas vezes eu chorei no ano de 2011. Não foram muitas, mas todas foram por motivos muito maiores do que o daquele dia.

Então saí de lá com o peito angustiado e mais tarde desabei! Acho que precisava ser lembrada novamente do que realmente importa nessa vida!  A VIDA!

E desde lá venho me reconstruindo novamente...um tijolinho por dia. Querer colocar uma parede de uma vez pode desabar a qualquer momento! Então, sem pressa!

No final de semana passado teve um almoço em casa e eu tive a oportunidade de conversar, por um longo tempo, com um tio meu que eu já citei aqui! Se lembram quando ele me disse que eu devia ter amor pela minha doença e curá-la com carinho? Essa frase ficou na cabeça de muitas pessoas, inclusive na minha.

Ele me contou como está hoje, 08 anos após a retirada do intestino grosso inteiro por causa da doença. E nessa conversa ele novamente me disse uma coisa que marcou.

“Bruna, eu, você, seu avô,sua tia, sua prima, somos pessoas especiais! NÓS SOMOS ANJOS! O Papai do Céu não nos enviou por acaso, ele não nos curou por piedade. Ele nos quer aqui, Ele quer que a gente tenha SAÚDE. Ele quer que a gente VIVA!”

Todos nós que passamos por essas provações da vida, não vencemos por acaso. Vencemos por que é a nossa missão sofrer e vencer! Nenhuma vitória tem graça se for fácil, se não tiver desafios. E quanto a isso, já podemos nos considerar mais do que vencedores.

NÓS SOMOS ANJOS!

Esse meu tio já passou por poucas e boas....quer dizer, muitas e más!

Sobre o meu avô eu também já contei! Homem de MUITA FORÇA E MUITA FÉ que após inúmeras cirurgias e muita luta, era, incansavelmente, a pessoa mais feliz de qualquer rodinha que se formava em volta dele. Nunca o vi entrando ou saindo de uma sala de cirurgia sem um sorriso no rosto ou sem contar uma piadinha para a enfermeira...rs! INCRÍVEL!

Quanto a minha prima, eu estou para contar o caso dela há muito tempo e só estava esperando a notícia que sabia que viria! ELA ESTÁ CURADA!

No final do ano passado, quando eu já estava na reta final e ela tinha acabado de ter a segunda filha, recebemos a notícia. A mesma notícia do dia 17 de janeiro. Um câncer maligno no final do reto, de aproximadamente 4cm.

Oi? Que? Como assim? De novo? Na minha família, de novo?

Sim! Era isso mesmo...a mesma doença, no mesmo órgão, na mesma posição, do mesmo tamanho.

Difícil acreditar, um raio não cai no mesmo lugar duas vezes. Mas aqui sim, caiu uma, caiu duas, caiu três e agora caiu novamente.

A questão é que há uma alteração genética na nossa família. Já descobrimos, através dos exames do meu avô, qual é o defeito na célula e estamos fazendo diversos exames para, depois do mapeamento genético, realizarmos exames de sangue em todos integrantes da família e descobrir quem tem essa alteração.

Eu tenho, minha tia tem, meu avô tinha e essa minha prima também tem. Agora as outras pessoas, após o resultado, deverão fazer exames de sangue e colonoscopia periodicamente, assim como todos deveriam.

Infelizmente essa mutação está no nosso organismo. É a nossa herança genética.

Essa minha prima passou pelo mesmo tratamento de quimio e radio, esperou os 02 meses e há algumas semanas fez a cirurgia de retirada do tumor.

Fui visitá-la um dia desses e naquele momento tive a certeza de que o meu tio estava certo. NÓS SOMOS ANJOS e ela é mais uma MULHER DE FORÇA E FÉ!

Com dois filhos pequenos a jornada com certeza deve ser outra. Foi o que eu disse quando conversamos pela primeira vez após a notícia...por um lado é mais difícil por que além de ter que cuidar de você ainda tem mais duas crianças que são totalmente dependentes, mas pelo outro, quando você pensar em desanimar ou entregar os pontos, vai se lembrar que tem dois filhos lindos, saudáveis, a sua espera para serem apresentados ao mundo. E que orgulho que eles terão de você, não é prima? Pode ter certeza que essa é a maior demonstração de amor e dedicação que você poderia ter dado a eles. PARABÉNS!

Eu estou contando tudo isso, também, para alertar a todos! Lógico que o nosso caso é uma extrema exceção, mas quem tem qualquer tipo de doença na família, deve procurar um médico e fazer exames de acompanhamento periódicos.

Sempre ouvimos falar disso e realmente é a melhor forma de cuidarmos da nossa saúde! Por exemplo, um outro tio fez a colonoscopia ano passado e lá estavam, alguns pólipos no intestino que, caso ele não tivesse feito o exame e cauterizado na hora, poderiam desenvolver e virar algo indesejável!

Os médicos já me disseram que terei que fazer exames para sempre e não vejo nenhum problema nisso. Muito pelo contrário, tive algumas consultas no início desse ano e estou com uma tonelada de pedidos de exames aqui...rs! Exageros a parte, amanhã sem falta irei agendar todos o quanto antes.

Essa é a minha forma de cuidar do meu organismo e acompanhar qualquer possível mudança, pois devido a essa alteração genética, eu tenho uma probabilidade muito maior do que o resto da sociedade de desenvolver outra doença.

E como eu quero cuidar muito dos meus bisnétinhos, tenho que, desde já, cuidar de MIM! E o amor e cuidado por mim mesma ficou tão grande que se eu pudesse faria carinho em todos os meus órgãos lindos e saudáveis!

E apesar dos pesares, eu sinto uma alegria diária que não tem como descrever. Acordar é a melhor coisa que pode acontecer no meu dia!!! Saio na rua com vontade de abraçar todo mundo. Nenhum problema é maior do que EU. Minha felicidade é completa, pois não é gerada pelo fato de ter um carro legal, uma família perfeita, um cartão sem limite, um namorado perfeito, uma viagem marcada,...não! Não são essas coisas que trazem a minha felicidade.

O que eu preciso eu já tenho! SAÚDE, SAÚDE, SAÚDE! A liberdade de poder fazer o que eu quiser, sabem o preço disso? Boa parte do ano passado não fiz nada do que eu queria.

Queria sair, não podia. Queria viajar, não podia. Queria tomar uma cervejinha, não podia. Queria rolar no tapete, não podia. Queria tomar sol, não podia. Queria andar na rua, não podia. Queria comer qualquer coisa, não podia. Queria largar tudo e sair correndo! E eu não podia...

Agora eu posso, eu vou, eu faço!

O céu é o limite e é somente lá que eu vou parar! Enquanto eu não chegar, eu não paro mais!

Vou abraçar SIIIIIIIM o mundo com os meus dois pequenos braços e a minha enooooorme vontade de ter tudo e fazer tudo.

E a minha avó disse...”você vai se dar tão bem nessa vida que vai dar até gosto de ver!” e boca de vó é santa!

Enquanto eu não chego “lá”, ela continua um pouco preocupada com essa minha vontade de fazer tudo ao mesmo tempo...rs! Mas eu estou dando conta de tudo. Até representante da minha sala na faculdade eu sou agora...e já consegui um mérito e tanto que todos julgaram impossível. A minha resposta? Enquanto eu não conseguir, eu não desisto! Dito e feito!

A minha única certeza nessa vida é que um dia eu não estarei mais aqui. O QUE? UM DIA EU NÃO ESTAREI MAIS AQUI?????????  ENTÃO DEIXA EU VIVER CADA SEGUNDINHO E APROVEITAR TOOOOODAS AS MINHAS OPORTUNIDADES. Vai saber para quando a minha ida está agendada...

“Não importa o tamanho dos sonhos que você tenha. Sonhe muito e sempre! Mesmo que seus sonhos não se realizem exatamente como você planejou, saiba que eles se concretizarão da maneira que Deus entender ser o melhor para você!”

Boa semana para todos!