domingo, 18 de setembro de 2011

Um começo de sucesso!!!

Bom dia!!!
Primeiro tenho que agradecer, mais do que nunca, as mensagens de FORÇA que recebi essa semana!!! Foi por isso que deu tudo certo.
Realmente no domingo passado eu não consegui dormir...estava muito ansiosa.
Acordamos e fomos para a clínica de quimioterapia, eu e meu pai. Chegando lá, fomos levados a tal da salinha...aí, só de entrar lá já me arrepio.
Deitei na maca e o médico chegou! Blá blá blá...e eu só conseguia olhar para a agulha na mão dele. Mesmo após tantas picadas, ou melhor, furadas (pela dimensão da agulha é um furo mesmo) no porth-oh-cath, ainda não me acostumei, nem vou.
Enfim, após algumas explicações que só o meu pai prestou atenção, veio a tortura: Bruna, respira fundo e segura. Um, dois, três...ESPERA!!! Rs...eu sempre faço isso! Ele já falou que é quase um ritual, eu espero ele vir com a agulha e ponho a mão na frente.
Novamente então...respira, segura, um, dois, três...AAAAAAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIII.
Um minuto sem respirar, imóvel, de olhos fechados e espremidos...o minuto mais longo da minha vida. Aquele líquido entrando no meu peito, queimando minha veia até o pescoço e descendo para o meu coração.
Coração calejado e cansado...que está pedindo só uma coisa: TRÉGUA. Na verdade já está suplicando.
Para tirar a agulha outra dor. Dor por dor, tava doendo tudo, até a alma.
Dessa vez não deu para conter as lágrimas. Chorei de soluçar.
Juro que sempre doeu, mas dessa vez...feriu.
Não sei por que, às vezes é o jeito que a agulha entra, mas foi uma dor absurda que persistiu por mais de 03 dias.
Meu pai levantou e veio até mim. Segurou a minha mão e pedia para eu me acalmar, mas como ele sabe que eu não faço mais drama a toa, sabia que estava doendo mesmo.
Após alguns minutos, quando comecei a me acalmar, o médico veio com outra injeção em minha direção e eu perguntei o que era aquilo, aí ele disse que era o soro para limpar o porth!
Haaaaaaaaaaaa! Tá pensando o que? Meia volta, volver! Rsrsrs....não deixei ele me furar de novo, mas nem que eu tivesse que sair correndo de lá, ele não ia furar. HUM! Tá pensando que eu sou de plástico?
Então começaram as explicações de como será a quimio.
A cada 15 dias, uma segunda sim, uma não, irei à clínica levar essa agradabilíssima furada no porth para receber o remédio na forma líquida e em casa terei que tomar os comprimidos, é uma quimio de via oral. Menos mal, né?
Funciona assim: todos os dias tenho que tomar 05 comprimidos, sendo 02 na parte da manhã e 03 a noite. Antes de tomar tenho que me alimentar o que não tem nenhum problema....rs! e esperar 30 minutos para ingerir o remédio.
Tenho que tomar com água, não pode ser suco, leite, refrigerante, cerveja,....hahaha brincadeira! Também não posso beber bebidas alcoólicas até o final do tratamento.
Aí perguntamos sobre os efeitos colaterais e ele disse que achava melhor não falar, pois eu poderia começar a achar que estava sentindo alguma coisa, achei sensato!
Em seguida, me deu a caixa/baú do remédio, com a quantidade certa para 02 semanas. Dr., cadê a bula? Ele achou melhor só o meu pai ler na internet para eu não ficar impressionada! Agora sim, tranqüilidade TOTAL!
Saímos de lá e meu pai me deixou no trabalho. Não estava me sentindo bem, com tontura e mal estar.
Ao chegar no trabalho, liguei o computador e escrevi no Sr. GOOGLE: XELODA.
Nossa! Era melhor mesmo que eu não tivesse lido a bula...
Mas eu não sou ignorante e sei que eles são obrigados a escreverem sobre todos os sintomas que todos pacientes tiveram ao longo do tratamento, mas confesso que fiquei um pouco impressionada sim.
Bom, aquela noite eu não consegui ir para a faculdade, estava meio mal e seria a primeira noite do remédio. Fui para a casa do meu amado e lá já jantamos, demos risadas e eu, com muito receio, tomei os 03 primeiros comprimidos de uma longa jornada de 06 meses.
Para falar a verdade ficamos na espera de alguma coisa, um enjôo, tontura, calafrio, qualquer coisa, mas não tive nada!
Após algumas horas, acabamos dormindo. Mas o que parecia fácil demais, logo começou a dar sinais de incômodo.
Acordei no meio da noite com uma dor de estômago, mas uma dor...não dá para explicar!
Já tive gastrite e não chega aos pés do que senti aquela noite.
Queimava, dava pontada, agulhada, faltava o ar. Tomei um copo de leite, me encolhi, comi um pão, fui para o sofá e passei o resto da noite lá, acordada me contorcendo de dor.
Ao amanhecer, liguei para o médico decidida a não tomar mais aquela bomba que tinha explodido o meu estomaguinho. Até parece, né? Ele me passou um protetor gástrico para tomar ao acordar, antes da ingestão dos comprimidos.
Passamos na farmácia, comprei e tomei o remédio, mas estava morrendo de medo de tomar a quimio novamente. Enrolei, até que não tive escapatória, tomei.
E a verdade é que desde lá, não tenho tido dores nem qualquer outro efeito.
Para ser sincera, na sexta-feira à noite tive a mesma crise de dor, pois tomei o remédio de estômago vazio e NUNCA mais farei isso.
De resto, só sinto uma leve tontura e um relaxamento de mais ou menos, 01 hora após tomar os remédios...parece que dou um shot de tequila e saravá!
Mas dos males, o menor!!!
Se continuar assim, será tranquilo!!! Tudo isso graças às correntes de força que tenho recebido e das orações...Santa Rita sempre comigo!
Esse domingo será diferente! O sol já está raiando na minha janela e meu coraçãozinho está tranquilo...amanhã será uma segunda como outra qualquer...acordar cedo e começar a semana, agora é a melhor coisa que pode acontecer!!!

domingo, 11 de setembro de 2011

Acordando novamente de um sonho breve!

Boa noite!!!
Voltei com uma notícia muito legal: Saiu na edição de setembro da revista GLOSS da editora ABRIL uma matéria sobre mulheres jovens que descobrem que estão com câncer e suas trajetórias.
Quando a matéria já estava editada e fotografada, eu tive a oportunidade de conhecer o pessoal da revista e contar um pouco da minha história, que foi acrescentada na matéria...fiquei muito feliz!!!
Em breve iniciaremos uma parceria com a revista para divulgar o Blog, já que a intenção é que o maior número de pessoas leiam o que eu tenho para dizer...muitas coisas!!!
Obrigada pela oportunidade e espero mais do que nunca mostrar que a VIDA vale à pena, mesmo com as pedrinhas no meio do caminho.
Falando nisso, preciso dizer o quanto eu estou feliz!!! Muito feliz J
Já estou comendo de tudo, e quando eu falo tudo, é tudo mesmo! Confesso que atropelei um pouco as coisas, mas a fome estava tomando conta de mim...rs! Que exagero!
Na última segunda-feira estive no médico e agora, oficialmente, estou autorizada a me acabar na comilança! Que regime o que!
Além disso, essa semana recuperei mais uma coisa! Voltei a fazer algo que sentia muita falta, uma “tradição” que trago desde pequenininha: dar três pulinhos após o banho antes de me enrolar na toalha!
Pode parecer irrelevante, mas para uma menina/mulher cheia de manias como eu, o fato de ter um pedaçinho do intestino para fora, não me deixava segura para sair pulando por ai. E agora, com tudo de volta no seu devido lugar, posso pular e rolar sem parar! Até isso passou a ter uma importância na minha vida...um significado, pois cada vez que eu faço, começo a rir e fico emocionada.
Esses dias estava pensando...passamos a vida buscando realizações, conquistas para encontrarmos a felicidade! Uma roupa, um jantar, uma viagem, um emprego novo, uma festa, um carro,...ou até mesmo pessoas...um namorado, um amigo! Enfim, vivemos sempre em busca de algo que nos faça feliz, do mais simples ao mais esplendido.
Após ter e CURAR a minha doença passei a ter somente uma ambição: VIVER!!!
Passei a achar graça nas coisas mais simples da vida e valorizar cada momento, cada pessoa. Cada dia que eu acordo, agradeço por mais uma oportunidade de VIVER e ser FELIZ e aprendi que cada oportunidade dessa não tem preço e não tem volta.
Estou vivendo a minha vida como deveria estar: tendo a certeza de que é o presente mais precioso que Deus me deu!!!
Tudo esta indo muito bem, cada dia me sinto mais feliz como nunca fui. Mas a jornada ainda não acabou, aliás, apesar do pior já ter acabado, a estrada é muito longa e cansativa.
Amanhã, dia 12 de setembro de 2011, após todos os desafios que enfrentei e VENCI, começarei uma etapa difícil. A quimioterapia pós-operatória!
Houve muita discussão entre os médicos para decidirem se era necessário ou não. Mesmo sem a doença esse tratamento é feito para eliminar qualquer possibilidade de metástase, só que dessa vez, me disseram que os efeitos colaterais serão mais intensos, e o pior de tudo: ao invés de 5 semanas como da primeira, serão 24! 06 meses de quimio, uma semana sim, uma não!
Se tudo der certo, durará até o carnaval! E que carnaval...já estou contando os dias.
Por um tempo, deixei a doença de lado e aproveitei todos os privilégios de estar curada, mas essa noite voltei ao início de tudo. Meus domingos torturantes, em que a única coisa que vem na cabeça é o medo do sol raiar, a agulha gigantesca furando meu peito, aquela dor que dói na alma e aqueles 2 minutos praticamente sem respirar até a retirada da agulha.
Estou em pânico e não consigo mais conter as lágrimas.
Falaram que a droga que será utilizada dessa vez é muito mais forte e causa outros sintomas e intensifica os já conhecidos por mim. Tudo bem, o cabelo continuará na cabeça, mas a cabeça não consegue parar de pensar, ir e vir, dar voltas e cambalhotas.
Socorro!!! Quero uma trégua!!!
Lógico que só começando para saber, mas tudo de novo? Enjôo, mal estar, fraqueza,...somente a falta de apetite não consegue me atingir! Nada tira a minha fome!
Estava indo muito bem e agora sinto que após um pico de alegria e de “vida quase normal”, tive que acordar e levar uns tapas na cara: Eiiii!!! Tá pensando o quê? Acha que acabou? Ha ha ha ...está longe de acabar mocinha!!! Tira esse sorriso do rosto e esquece essa euforia toda, você está doente. D-O-E-N-T-E!
Infelizmente é essa a sensação.
Sei que terei forças e além do mais, dessa vez será um tratamento preventivo e não curativo como da outra. Será difícil, mas será mais fácil por que não tenho mais o câncer. Será?
Não me restam muitas opções além de ficar a noite inteira pensando e rolando na cama. Bom, pelo menos agora eu posso rolar a vontade.
Acho que hoje eu cavo um buraco no meu colchão!